III Marcha das Vadias Baixada Santista

1654378_739930872746812_8945586195248513144_n

 

A ansiedade para a MdV – Baixada Santista acabou! O tema da marcha deste ano é “Sororidade: nossos inimigos são outros”. Esperamos sua presença no dia 23 de novembro (domingo) de 2014, às 16h (concentração).

Não esqueça de confirmar presença no evento: https://www.facebook.com/events/572501979543653/572514159542435/?notif_t=plan_mall_activity

A Marcha das Vadias é um movimento feminista e apartidário, cujo objetivo é lutar contra as agressões físicas, psicológicas, sociais, culturais e morais às quais mulheres e meninas são submetidas todos os dias. Este ano estamos reforçando a sororidade, que nada mais é que irmandade. Um conceito que nos falta em relação a outras mulheres, por incrível que pareça, já que a sociedade nos impõe o papel de rivalidade.

Precisamos fortalecer a sororidade umas com as outras e quebrar essa corrente de rivalidade e inimizade que nos aprisiona!

Não somos objeto, e por isso não merecemos nem ser disputadas e nem disputar umas com as outras. Também não concordamos em ridicularizar ou expor negativamente outras mulheres. Nossos verdadeiros inimigos são o machismo que nos violenta e mata, o patriarcado que nos ensina a ver umas às outras como inimigas e rivais e o sistema capitalista que nos explora nossa força de trabalho e reforça todos esses estigmas. Enquanto continuarmos perdendo nossas forças e tempo brigando entre nós, eles irão crescer e se fortalecer.

Nos unimos em marcha para dar um basta. Chega de mulheres agredindo mulheres. Nossa luta é lá fora e nosso movimento precisa unir todas nós, de todas as etnias, de todas as classes, lésbicas, hétero, bi, pansexuais, travestis, transexuais e cisgêneras (que não são trans). Lutamos contra a violência. Quando se trata da sexualidade de lésbicas e bissexuais, essas sofrem com mais esse preconceito e o risco do “estupro corretivo” (quando o homem acredita que pode corrigir este “erro” de sexualidade através do sexo sem consentimento). Sem deixar de mencionar as travestis e transexuais, que estão sujeitas a agressões de todos os tipos.

Queremos lembrar a todxs que não importa qual a profissão da mulher, como ela se veste, como se comporta, qual sua idade, sua orientação sexual ou com quantas pessoas faz sexo, todas temos direito a nos sentirmos seguras e termos nossa integridade respeitada.

A CULPA DO ESTUPRO É DO ESTUPRADOR!
A CULPA DA AGRESSÃO É DE QUEM BATE, NÃO DE QUEM APANHA!
SE SER LIVRE É SER VADIA, SOMOS TODAS VADIAS!

Anúncios